De acordo com o destaque publicado, em 2022, registaram-se 1 598 falências/insolvências de sociedades decretadas pelos tribunais, uma redução de 62,4% face a 2015.

O ano de 2020, o primeiro ano da pandemia, apresentou o único crescimento no número de falências no período em análise (+2,2%), coincidente com o único decréscimo no Valor Acrescentado Bruto (VAB) das sociedades. De salientar que estas duas variáveis apresentam uma correlação negativa, uma vez que nos períodos de crescimento do VAB das sociedades registam-se diminuições do número de falências/insolvências decretadas.

Considerando a informação trimestral, o número de falências foi mais elevado nos dois primeiros trimestres de cada ano, tendo o valor mais baixo (365) sido registado no 3.º trimestre de 2022. Entre 2015 e 2022, o número médio de falências decretadas por trimestre desceu de 1 061 para 400.

Os setores do Comércio e Indústria e energia concentraram 44,3% do total de falências decretadas em 2022, enquanto os setores das Atividades Financeiras, Informação e Comunicação e Agricultura e Pescas não chegavam, em conjunto, a 6%. 

Por localização geográfica, as regiões Norte, Área Metropolitana de Lisboa e Centro representaram, em conjunto, 87,7% do total de falências decretadas em 2022 (43,9%, 24,7% e 19,1%, respetivamente).
 

– –
Fonte:
https://www.iapmei.pt/NOTICIAS/2022-regista-decrescimo-de-62,4-de-falencia-insol.aspx

Consultar a fonte