A ACES – Associação Comercial e Empresarial de Santarém, dando cumprimento a uma das suas principais missões que é defender os direitos dos setores empresariais, promover o seu desenvolvimento e progresso e dotá-los de meios que possibilitem responder aos novos desafios que se colocam, ir-se-á candidatar junto do Quadro Comunitário de Apoio “Portugal 2020”, a um projeto de formação-ação que será financiado pelo Fundo Social Europeu.

Este projeto, que se prevê iniciar em Setembro/Outubro de 2019, pretende colocar à disposição de um conjunto de empresas participantes, de forma totalmente gratuita, consultores especializados nas áreas de gestão e organização, tecnologias da informação, marketing, qualidade, estratégia empresarial, entre outras, de forma as ajudar a melhorarem o seu desempenho em áreas essenciais para o seu desenvolvimento.

Para mais informações:

O Programa Formação PME é um projeto conjunto de formação-ação, enquadrado no Sistema de Incentivos às empresas no âmbito da Qualificação e Internacionalização do COMPETE 2020, que pretende contribuir para o reforço de competências dos empresários e gestores para a reorganização e melhoria das capacidades de gestão, assim como os trabalhadores das empresas, apoiadas em temáticas associadas à inovação e mudança.

ORGANIZAÇÃO E GESTÃO

Objetivo
qualificar PME para reforçar a sua competitividade e capacidade de resposta no mercado global
Linhas Orientadoras
introdução de novos métodos ou novas filosofias de organização do trabalho, reforço das capacidades de gestão, estudos e projetos, redesenho e melhorias de layout, ações de benchmarking, diagnóstico e planeamento, melhoria das capacidades de desenvolvimento e distribuição de produtos, processos e serviços.
Níveis de Impacto
concretização de inovação organizacional por via da aplicação de um novo método organizacional na prática do negócio ou na organização do local de trabalho.

INTERNACIONALIZAÇÃO

Objetivo
Desenvolver e aplicar novos modelos empresariais e processos de qualificação das PME para a internacionalização.
Linhas Orientadoras
Conhecimento de mercados externos; criação, desenvolvimento e promoção internacional de marcas; prospeção e presença em mercados internacionais; marketing internacional; nova organização das práticas comerciais; novos métodos de relacionamento externo; certificações específicas para os mercados externos.
Níveis de Impacto
Aumento das exportações, aumento da presença em mercados internacionais, concretização de inovação organizacional por via da aplicação de um novo método organizacional nas relações externas da empresa.

IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO (QUALIDADE, AMBIENTE, SST OU OUTROS)

Objetivo
Otimizar processos, reduzir não conformidades e ineficiências, aumentar a visibilidade das empresas e credibilizar a sua atuação.
Linhas Orientadoras
Contributo para a implementação de sistemas de gestão da qualidade ou de outros sistemas de gestão não incluídos nas demais temáticas, com vista à sua posterior certificação (seja pelo sistema português da qualidade ou por sistemas internacionais de certificação).
Níveis de Impacto
Aumento da qualidade dos produtos, serviços ou processos de gestão das empresas, implementação de sistemas de gestão pela qualidade total, redução de não conformidades (processo, produtos), certificação de produtos e serviços com obtenção de marcas..

ECONOMIA DIGITAL

Objetivo
Desenvolver e aplicar novos modelos empresariais e processos de qualificação das PME para a internacionalização.
Linhas Orientadoras
Desenvolvimento de redes modernas de distribuição e colocação de bens e serviços no mercado; criação e/ou adequação dos modelos de negócios com vista à inserção da PME na economia digital; presença na web; introdução de sistemas de informação aplicados a novos métodos de distribuição e logística.
Níveis de Impacto
Utilização de ferramentas sofisticadas de marketing para ampliação da presença no mercado.

RACIONALIZAÇÃO/EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

Objetivo
Disseminar os princípios de eco-inovação e promover uma cultura de responsabilidade social e ambiental.
Linhas Orientadoras
Incorporação dos princípios da eco-eficiência e da economia circular; certificações de sistemas, serviços e produtos na área do ambiente; obtenção do Rótulo Ecológico e sistema de ecogestão e auditoria (EMAS).
Níveis de Impacto
Utilização mais eficiente dos recursos, redução e reutilização de desperdícios e minimização da extração e do recurso a matérias-primas.

GESTÃO ESTRATÉGICA

Objetivo
Capacitar os empresários em novos modelos de negócio e competências de apoio à gestão e à inovação aberta que estimulem as parcerias e a cooperação empresarial.
Linhas Orientadoras
Formação em áreas-chave para a modernização dos estilos de liderança e de gestão; de inovação e de cooperação empresarial.
Níveis de Impacto
Melhorias visíveis no negócio em função de uma aplicação prática de métodos de gestão adequados ao contexto global.

Consultores especializados nas seguintes áreas:

Gestão e Organização

A administração de um negócio, empresa ou organização com o objetivo de alcançar metas e conquistar resultados positivos e rentáveis.

Tecnologias da Informação

A informação é tão importante que organizações de todos os portes e ramos de atividade investem constantemente em tecnologias para obtenção, classificação, análise, proteção e preservação de dados.

Marketing

Marketing é a ciência e arte de explorar, criar e entregar valor para satisfazer as necessidades de um público-alvo com geração de lucro.

Gestão da Qualidade

Um conjunto de elementos interligados, integrados na organização de uma empresa, que funcionam como uma engrenagem para atender à política da qualidade e os objetivos da entidade.

Estratégia empresarial

Têm sido exigido das organizações uma maior capacidade de formular e implementar estratégias que possibilitem superar os crescentes desafios de mercado e atingir os seus objectivos, tanto de curto como de médio e longo prazo.

Peça mais informações, e faz a inscrição:
Ficha de Inscrição

BENEFICIÁRIOS

São beneficiárias as PME na aceção da Recomendação nº2003/361/CE, da Comissão Europeia de 6 de Maio relativa à definição de micro, pequena e média empresa. Podem beneficiar deste programa empresas até 250 trabalhadores, desde que observem os seguintes requisitos :

  • Cumprir as condições necessárias para o exercício da atividade
  • Dispor de contabilidade organizada nos termos da legislação aplicável;
  • Manter a situação tributária e contributiva regularizada;
  • Apresentar situação líquida positiva;
  • Não ser uma empresa em dificuldade;
  • Não ser uma empresa sujeita a uma injunção de recuperação, ainda pendente;
  • Não ter salários em atraso;
  • Ter certificado PME
  • Não deter nem ter detido capital numa percentagem superior a 50%, por si ou pelo seu cônjuge, não separado de pessoas e bens, ou pelos seus ascendentes e descendentes até ao 1º grau, bem como por aquele que consigo viva em condições análogas à dos cônjuges, em empresa que não tenha cumprido notificação para devolução de apoios num âmbito de uma operação apoiada por fundos europeus.

Ao nível do âmbito Setorial:

Com as Limitações a seguir indicadas, são elegíveis as CAE (Classificação Portuguesa das Atividades Económicas- Revisão 3, Decreto – Lei nº 381/2007, de 14 de novembro):

  • Da seção A à J, com exceção das Divisões 01,03,33 a 43,53,60;
  • Da seção L à S, com exceção das Divisões 84,90,94.

Estão ainda excluídas de beneficiarem as PME que se enquadrem nas seguintes atividades

  • Financeiras e de Seguros – divisões 64 a 66;
  • Defesa . Subclasses 25402, 30400 e 84220;
  • Lotarias e outros jogos de aposta – divisão 92.

Esta é pois uma oportunidade única para as empresas aproveitarem o apoio técnico disponibilizado, de forma a melhorarem as suas empresas e desta forma prepararem-se para os novos desafios de mercado que se avizinham.

Devido ao número limitado de vagas, a seleção das empresas participantes far-se-á pela verificação dos critérios de elegibilidade do projecto e pela ordem de chegada das fichas de inscrição.