Na abertura da edição de 2023 da Web Summit, ministro da Economia e do Mar destacou papel da inovação e da tecnologia face à “ameaça climática”

O ministro da Economia e do Mar deu esta noite (13 de novembro) as boas vindas aos participantes na Web Summit, deixando um alerta sobre os perigos das alterações climáticas e um apelo à “vontade coletiva” e à responsabilidade pelo futuro” de todos.

Num discurso proferido na sessão de abertura da edição de 2023 da Web Summit, no Altice Arena, em Lisboa, António Costa Silva destacou o papel que a tecnologia, e em particular a inteligência artificial, podem desempenhar na procura de um futuro mais sustentável, e sublinhou a aposta de Portugal, nomeadamente nas energias renováveis, que garantem já 60% da produção elétrica no país.

Para António Costa Silva os problemas com que o mundo se confronta hoje têm de ser resolvidos através da inovação e da tecnologia – e a “Web Summit é uma plataforma fantástica para ligar as pessoas e as ideias que estão a mudar o mundo”. “Precisamos desesperadamente dessas novas ideias para resolver os problemas chave do nosso tempo”, defendeu o ministro da Economia e do Mar, apontando como o mais importante a “ameaça climática” – uma “ameaça existencial”. Um contexto em que a inteligência artificial, um dos temas centrais desta Web Summit,  “pode ser uma solução”. 

“A inteligência artificial será a eletricidade do século XXI”, mudando e moldando diferentes segmentos da economia, acrescentou António Costa Silva, sublinhando que serão as novas tecnologias a fazer o futuro acontecer. “Temos de conter a ameaça climática fazendo o que estamos a fazer em Portugal, mudando o nosso mix energético. Temos um cluster de energias renováveis que é cada vez mais forte: 60% da eletricidade que usamos no país provém de energias renováveis e alcançaremos 80% nos próximos três a quatro anos”, apontando a meta definida pelo Governo para 2026. 

 “Temos uma mudança do paradigma da mobilidade”, apontou também o ministro, defendendo que “temos de mudar as nossas cidades”, onde vive hoje mais de 55% da população mundial e onde se faz 75% do consumo global de energia e 80% das emissões de CO2 – “Se não conseguirmos mudar o paradigma das cidades vamos ter problemas no futuro”. 

“Temos que fazer mais, com as vossas ideias e os vossos sonhos, com o empreendedorismo”, desafiou António Costa Silva. 

– –
Fonte:
https://www.portugal.gov.pt/pt/gc23/comunicacao/noticia?i=web-summit-uma-plataforma-para-ligar-as-pessoas-e-as-ideias-que-estao-a-mudar-o-mundo

Consultar a fonte